FOTOCOAGULAÇÃO A LASER DE RETINA

O laser é uma fonte luminosa intensa que, quando aplicada ao epitélio pigmentar da Retina, é convertido em energia térmica, com a temperatura subindo para além de 65 ºC na área de aplicação. Esse calor, por sua vez, induz abrasão no tecido retiniano, levando à desnaturação de proteínas, instaurando-se assim um processo de coagulação e posterior cicatrização. A técnica é utilizada para reduzir a proliferação de vasos sanguíneos retinianos.

Durante o procedimento, podem ser realizadas ablações em vasos específicos (fotocoagulação focal) ou em uma grande quantidade da Retina (fotocoagulação pan-retiniana) para a redução do crescimento de vasos sanguíneos. Nesse último caso, pode-se realizar a ablação a laser em dezenas a centenas de pontos da Retina.

Retinopatia Diabética

A Diabetes descontrolada leva à proliferação desenfreada de vasos sanguíneos anômalos na Retina, estágio da doença conhecida por Retinopatia Diabética Proliferativa. Por sua constituição anormal, são vasos finos e fracos que, ao sangrar, levam a prejuízo irreversível da visão. Nestes casos, a Fotocoagulação a laser de Argônio é capaz de realizar a ablação desses neovasos, reduzindo seu crescimento e evitando novos sangramentos.

Degeneração Macular Relacionada à Idade

Apesar de indicada com menos frequência e ser substituída pela Injeção Intravítrea em diversos casos, a Fotocoagulação a laser também pode ser usada em situações específicas de Degeneração Macular, como no caso de pacientes que não respondem bem à terapia com drogas anti-VEGF intravítreas. Beneficiam-se os pacientes que apresentam a proliferação de vasos da coróide longe da fóvea, área central da Retina que forma imagens com a maior nitidez.

Glaucoma

O Glaucoma caracteriza-se pelo aumento da pressão intraocular a níveis que podem lesionar o nervo óptico, que conduz o estímulo luminoso captado na Retina até o cérebro. Em casos específicos de Glaucoma neovascular, a proliferação de neovasos pode ser controlada com a Fotocoagulação. O uso do laser ainda pode ser usado para reduzir diretamente a pressão intraocular (procedimento conhecido como Trabeculoplastia a laser) ou reduzir o acúmulo do humor aquoso através da diminuição de sua produção e aumento da sua saída pela Ciclofotocoagulação.

A Fotocoagulação a laser dói?

O procedimento de Fotocoagulação é realizado apenas após a anestesia. Na maior parte dos casos essa anestesia é realizada com o emprego de gotas de colírio. Em uma menor parcela dos pacientes, pode ser necessária a infusão de anestésicos de Lidocaína em áreas específicas do globo ocular. De qualquer forma, após a anestesia o procedimento é indolor.

MONTAMOS NOSSA INFRAESTRUTURA COM TODO O CARINHO PARA ATENDERMOS DA MELHOR FORMA POSSIVEL NOSSO PACIENTE, DE MANEIRA HUMANIZADA, PROFISSIONAL E ÉTICA.

Montamos nossa infraestrutura com todo o carinho para atendermos da melhor forma possível nosso paciente, de maneira humanizada, profissional e ética.

saudecaixa
postalsaude
unimed
liv
red-med
ceming-saude
ipsm
premium-saude

© COPYRIGHT 2021 - CSO Hospital de Olhos - Todos os direitos reservados

Responsável Técnico: Dr. Fernando Borges Marquez de Andrade- CRM-MG: 53.880 / RQE: 43054

Desenvolvido por WTA3 Marketing Digital Médico em parceria com agencia-realiza7